Células tumorais expostas à "5ª Sinfonia", de Beethoven, perderam tamanho ou morreram
Os seguintes avisos ocorreram:
Warning [2] Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/noti/noticiasnaturais.com/mybb/inc/db_mysql.php(2) : eval()'d code:9) - Line: 1721 - File: inc/functions.php PHP 5.3.28 (Linux)
File Line Function
[PHP]   errorHandler->error
/inc/functions.php 1721 header
/inc/class_session.php 338 my_setcookie
/inc/class_session.php 75 session->load_guest
/global.php 55 session->init
/showthread.php 22 require_once
Warning [2] Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/noti/noticiasnaturais.com/mybb/inc/db_mysql.php(2) : eval()'d code:9) - Line: 1721 - File: inc/functions.php PHP 5.3.28 (Linux)
File Line Function
[PHP]   errorHandler->error
/inc/functions.php 1721 header
/inc/class_session.php 343 my_setcookie
/inc/class_session.php 75 session->load_guest
/global.php 55 session->init
/showthread.php 22 require_once
Warning [2] Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/noti/noticiasnaturais.com/mybb/inc/db_mysql.php(2) : eval()'d code:9) - Line: 1721 - File: inc/functions.php PHP 5.3.28 (Linux)
File Line Function
[PHP]   errorHandler->error
/inc/functions.php 1721 header
/inc/class_session.php 83 my_setcookie
/global.php 55 session->init
/showthread.php 22 require_once
Warning [2] Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/noti/noticiasnaturais.com/mybb/inc/db_mysql.php(2) : eval()'d code:9) - Line: 1721 - File: inc/functions.php PHP 5.3.28 (Linux)
File Line Function
[PHP]   errorHandler->error
/inc/functions.php 1721 header
/inc/functions.php 1783 my_setcookie
/inc/functions_indicators.php 42 my_set_array_cookie
/showthread.php 585 mark_thread_read



Goji Berry Pelo menor Preço Você Encontra na Tudo Saudável Produtos Naturais



Responder 
 
Avaliação do Tópico:
  • 3 Votos - 5 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Células tumorais expostas à "5ª Sinfonia", de Beethoven, perderam tamanho ou morreram
12-03-2014, 11:47 AM (Resposta editada pela última vez em: 05-09-2014 09:00 PM por admin.)
Resposta: #1
Star Células tumorais expostas à "5ª Sinfonia", de Beethoven, perderam tamanho ou morreram
Estudo e efeitos da V Sinfonia nas células de câncer de mama

[Imagem: beethoven.jpg]


[Imagem: palestra+marcia+capella+de+julho+figura.JPG]


Drª Márcia Capella, coordenadora do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, coordenou a pesquisa do Programa de Oncobiologia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) que expôs células ligadas ao cancro da mama à 5ª Sinfonia de Beethoven e a Atmosphères de György Ligeti. 1 em cada 5 células desapareceu e as sobreviventes diminuíram de tamanho.

Tradicionalmente a musico terapia é já largamente utilizada em desordens emocionais. Este estudo comprova que "a música produz um efeito directo sobre as células do nosso organismo".

O resultado é enigmático para a cientista. O sucesso de 2 composições aparentemente tão distintas procura junto de professores de música associações por via do rítmo, timbre ou intensidade.

Depois de descobrir a causa responsável pela alteração das células, a intenção é "construir uma sequência sonora especial para o tratamento de tumores". Outros géneros musicais serão investigados e em Abril será testado o samba e o funk.

Música contra o câncer e a A Música e seus efeitos terapêuticos

Música contra o câncer
Células tumorais expostas à "Quinta Sinfonia", de Beethoven, perderam tamanho ou morreram

Renato Grandelle - RIO - Mesmo quem não costuma escutar música clássica já ouviu, numerosas vezes, o primeiro movimento da "Quinta Sinfonia" de Ludwig van Beethoven. O "pam-pam-pam-pam" que abre uma das mais famosas composições da História, descobriu-se agora, seria capaz de matar células tumorais - em testes de laboratório. Uma pesquisa do Programa de Oncobiologia da UFRJ expôs uma cultura de células MCF-7, ligadas ao câncer de mama, à meia hora da obra. Um em cada cinco delas morreu, numa experiência que abre um nova frente contra a doença, por meio de timbres e frequências.

A estratégia, que parece estranha à primeira vista, busca encontrar formas mais eficientes e menos tóxicas de combater o câncer: em vez de radioterapia, um dia seria possível pensar no uso de frequências sonoras. O estudo inovou ao usar a musicoterapia fora do tratamento de distúrbios emocionais.

- Esta terapia costuma ser adotada em doenças ligadas a problemas psicológicos, situações que envolvam um componente emocional. Mostramos que, além disso, a música produz um efeito direto sobre as células do nosso organismo - ressalta Márcia Capella, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, coordenadora do estudo.




Como as MCF-7 duplicam-se a cada 30 horas, Márcia esperou dois dias entre a sessão musical e o teste dos seus efeitos. Neste prazo, 20% da amostragem morreu. Entre as células sobreviventes, muitas perderam tamanho e granulosidade.

O resultado da pesquisa é enigmático até mesmo para Márcia. A composição "Atmosphères", do húngaro György Ligeti, provocou efeitos semelhantes àqueles registrados com Beethoven. Mas a "Sonata para 2 pianos em ré maior", de Wolfgang Amadeus Mozart, uma das mais populares em musicoterapia, não teve efeito.

- Foi estranho, porque esta sonata provoca algo conhecido como o "efeito Mozart", um aumento temporário do raciocínio espaço-temporal - pondera a pesquisadora. - Mas ficamos felizes com o resultado. Acreditávamos que as sinfonias provocariam apenas alterações metabólicas, não a morte de células cancerígenas.

"Atmosphères", diferentemente da "Quinta Sinfonia", é uma composição contemporânea, caracterizada pela ausência de uma linha melódica. Por que, então, duas músicas tão diferentes provocaram o mesmo efeito?
Aliada a uma equipe que inclui um professor da Escola de Música Villa-Lobos, Márcia, agora, procura esta resposta dividindo as músicas em partes. Pode ser que o efeito tenha vindo não do conjunto da obra, mas especificamente de um ritmo, um timbre ou intensidade.

Em abril, exposição a samba e funk

Quando conseguir identificar o que matou as células, o passo seguinte será a construção de uma sequência sonora especial para o tratamento de tumores. O caminho até esta melodia passará por outros gêneros musicais. A partir do mês que vem, os pesquisadores testarão o efeito do samba e do funk sobre as células tumorais.

- Ainda não sabemos que música e qual compositor vamos usar. A quantidade de combinações sonoras que podemos estudar é imensa - diz a pesquisadora.

Outra via de pesquisa é investigar se as sinfonias provocaram outro tipo de efeito no organismo. Por enquanto, apenas células renais e tumorais foram expostas à música. Só no segundo grupo foi registrada alguma alteração.
A pesquisa também possibilitou uma conclusão alheia às culturas de células. Como ficou provado que o efeito das músicas extrapola o componente emocional, é possível que haja uma diferença entre ouví-la com som ambiente ou fone de ouvido.

- Os resultados parciais sugerem que, com o fone de ouvido, estamos nos beneficiando dos efeitos emocionais e desprezando as consequências diretas, como estas observadas com o experimento - revela Márcia.


A Música e seus efeitos terapêuticos



Segundo a Canadian Association for Music Therapy, "a Musicoterapia é a utilização da música para auxiliar a integração física, psicológica e emocional do indivíduo e para o tratamento de doenças ou deficiências. A natureza da musicoterapia enfatiza uma abordagem criativa no trabalho terapêutico, possibilitando uma abordagem humanista e viável que reconhece e desenvolve recursos internos geralmente reprimidos pelos clientes".

Os instrumentos musicais e seus efeitos:
PIANO - combate a depressão e a melancolia
VIOLINO - combate a sensação de insegurança
FLAUTA DOCE - combate nervosismo e ansiedade
VIOLONCELO - incentiva a introspecção e a sobriedade
DE SOPRO - inspiram coragem e impulsividade.

Para combater a depressão e o medo excessivo:
- Sonho de Amor, de Liszt
- Serenata, de Schubert
- Guilherme Tell (Abertura), de Rossini
- Noturno Opus 48, de Chopin
- Chacona, de Bach.

O ideal é uma sessão diária de meia hora pela manhã.

Para combater insônia, tensão e nervosismo:
- Canção da Primavera, de Mendelssohn
- Sonata ao Luar, de Beethoven (Primeiro Movimento)
- Valsa nº15 em Lá Bemol, de Brahmms
- Sonho de Amor, de Liszt
- Movimentos Musicais nº3, de Schubert.

Depois de ouvir as peças indicadas, escolha a que deu melhores resultados e escute-a diariamente, antes de dormir. No ínicio, os efeitos são leves. É preciso um pouco de paciência e persistência para notar progressos.

Durante a gravidez e para facilitar o parto:
- Concerto para violino, Opus 87B, de Sibelius.
- Sonata Opus 56, de Haydn
- As quatro Estações, de Vivaldi
- Concerto Tríplice, de Beethoven
- Concerto para violino, de Brahmms
- Concerto para violino, de Tchaikovsky.

Ouvidas alternadamente, por perídos durante a gravidez e nos dias que precedem ao parto, estas peças geram bem-estar e contribuem para o nascimento de crianças tranquilas.

Para melhor estimular a memória:
- Concerto em Dó Maior para bandolim, corda e clavicórdia, de Vivaldi
- Largo do Concerto em Dó maior para Clavicórdia, BMW 976, de Bach
- Spectrum Suíte, Confort Zone e Starbone Suíte, de Stephen Halpern.

Fazer sessões de 1 hora, pela manhã, ao acordar. Alterne cada peça, a cada dia.

Para favorecer a interiorização e a meditação:
- Concerto nº2 para Piano, de Rachmaninov (último movimento)
- Concerto em Lá menor para piano, de Grieg (primeiro movimento)
- Concerto nº1 para piano, de Tchaikovsky (primeiro movimento)

Ouvir qualquer peça durante 10 minutos antes da meditação. É importante enfatizar que a música não é um curativo eficaz em si mesmo, mas que seus efeitos terapêuticos resultam de uma aplicação profissional durante um processo terapêutico.

Fonte: Florais & Cia... - Estudo e efeitos da V Sinfonia nas células de câncer de mama



Muito boa esta matéria!! Pessoalmente, eu recomendo o Cânone em Ré Maior, de Johann Pachelbel. É incrível! Realmente faz um bem enorme à alma!




Via: Notícias Naturais: [Estudo] Células Tumorais expostas à “5ª Sinfonia”, de Beethoven, Perderam Tamanho ou Morreram

[Imagem: Jacinta_1972_C_pia.jpg]

"Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima." (Lucas 21:28)
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 6 usuários diz(em) obrigado a Mediador pelo seu post:
admin (05-09-2014), Daia (12-03-2014), Mariza Beck (26-02-2015), Minerim (13-03-2014), Siouxsiesyw (13-03-2014), sleber (13-03-2014)
Chlorella Green Gem Pelo menor Preço Você Encontra na Tudo Saudável Produtos Naturais
13-03-2014, 02:38 AM
Resposta: #2
RE: Células tumorais expostas à "5ª Sinfonia", de Beethoven, perderam tamanho ou morreram
Definições de Musicoterapia

[Imagem: Foto_Instrumento1.jpg]


Gisele Célia Furusava

Australian Associatin for Music Therapy: Musicoterapia é “a utilização planejada da música para se atingir objetivos terapêuticos com crianças e adultos que têm necessidades especiais decorrentes de problemas sociais, emocionais, físicos ou intelectuais” (Bruscia, 1998, p.274).

Bang: “Musicoterapia é a aplicação controlada de atividades musicais especialmente organizadas, com a intenção de favorecer o desenvolvimento e a cura durante o tratamento, a educação, e a reabilitação de crianças e adultos com defasagens motoras, sensoriais ou emocionais... O objetivo do musicoterapeuta é centrado no cliente e não na música” (Bruscia, 1998, p.274).

Bright: “Musicoterapia é a utilização planejada para melhorar o funcionamento, em seu ambiente, de um indivíduo ou grupo de clientes que tenham necessidades sociais, intelectuais, físicas ou emocionais de natureza especial. A Musicoterapia é conduzida por um musicoterapeuta treinado trabalhando em um contexto de equipe clínica.” (Bruscia, 1998, p.275).

Bruscia: Musicoterapia é um processo interpessoal que envolve o (s) terapeuta(s) e o(s) cliente(s) exercendo certos papéis na relação e em uma variedade de experiências musicais, todas estruturadas para ajudar os clientes a encontrarem os recursos necessários para resolver problemas e aumentar seu potencial de bem-estar. (Bruscia, 1998, p.275).

Bunt: Musicoterapia “é a utilização de sons organizados e da música em uma relação envolvente entre cliente e terapeuta para apoiar e encorajar o bem-estar emocional, social, físico e mental” (Bruscia, 1998, p.276).

Canadian Association for Music Therapy: Musicoterapia é “a utilização da música para auxiliar a integração física, psicológica e emocional do indivíduo e para o tratamento de doenças ou deficiências. Ela pode ser aplicada a todos os grupos etários em uma grande variedade de settings. A música possui a qualidade de ser não-verbal, mas oferece muitas oportunidades para a expressão oral e verbal. Como membro de uma equipe terapêutica, o musicoterapeuta participa da avaliação das necessidades do cliente, da formulação da abordagem e do programa terapêutico, desenvolvendo então atividades musicais específicas para alcançar os objetivos, avaliações sistemáticas e assegura a eficácia do programa. A natureza da musicoterapia enfatiza a abordagem criativa no trabalho com deficientes. A musicoterapia possibilita uma abordagem humanista e viável que reconhece e desenvolve recursos internos geralmente reprimidos do cliente. Os musicoterapeutas desejam ajudar o indivíduo a mover-se em direção a uma maior auto-consciência e, em um sentido mais amplo, a levar cada ser humano ao seu maior potencial” (Bruscia, 1998, p.276).

Del Campo: “Musicoterapia é a aplicação científica do som, da música e do movimento, que através da escuta, do treinamento e da execução de sons instrumentais, contribui para a integração de aspectos cognitivos, afetivos e motores, desenvolvendo a consciência e fortalecendo o processo criativo. Os objetivos da musicoterapia são: 1)facilitar o processo de comunicação, 2)promover a expressão individual e 3)melhorar a integração social” (Bruscia, 1998, p.277).

Doyle: Musicoterapia é “a utilização da música em um ambiente específico para inspirar, liberar e nutrir o processo de descoberta de cada indivíduo. No envolvimento com a música, os indivíduos deixam sua imaginação ir adiante, fazem escolhas e realizam sonhos” (Bruscia, 1998, p.278).

Ducourmeau: “... Pode-se definir a Musicoterapia como a abertura de canais de comunicação, utilizando o som, o ritmo e o movimento.” (Baranow, 1999, p.6)

French Association of Music Therapy: “Musicoterapia é o uso dos sons e da música em uma relação psicoterapêutica.” (Baranow, 1999, p.72)

Jondittir: “Musicoterapia é a utilização estruturada da música, do som e do movimento para a obtenção de objetivos terapêuticos de recuperação, manutenção e desenvolvimento da saúde física, mental e emocional. De forma sistemática, um indivíduo especialmente treinado utiliza as propriedades e os potenciais singulares da música e do som, e a relação que se desenvolve através das experiências musicais para alterar o comportamento humano, para ajudar o indivíduo a utilizar seu potencial máximo, para comunicar sua singularidade e para aumentar seu bem- estar” (Bruscia, 1998, p.279)

Kenny: “Musicoterapia é um processo e um sistema que combinam os aspectos curativos da música com as questões da necessidade humana para beneficiar o indivíduo e, consequentemente, a sociedade. O musicoterapeuta atua como um recurso pessoal e guia, fornecendo experiências musicais que levam os clientes em direção à saúde e ao bem-estar” (Bruscia, 1998, p.279)

Mid-Atlantic Music Therapy Region - National Association for Music Therapy: “Musicoterapia é a utilização estruturada da música como processo criativo para desenvolver e manter o máximo potencial humano. A musicoterapia é utilizada com sucesso nas seguintes áreas: social, motora, desenvolvimento da comunicação, aquisição de conhecimentos escolares e manejo do comportamento. Utilizando objetivos reeducativos, a musicoterapia auxilia a promover o funcionamento ótimo através de uma grande variedade de experiências” (Bruscia, 1998, p.280)

Munro e Mount: “Musicoterapia é a utilização controlada da música, de seus elementos e de sua capacidade de influenciar os seres humanos para auxiliar a integração fisiológica, psicológica e emocional do indivíduo durante o tratamento de uma doença ou deficiência” (Bruscia, 1998, p.280)

National Association of Music Therapy (USA): “Musicoterapia é a utilização da música no acompanhamento de objetivos terapêuticos: restauração, manutenção, e melhora da saúde física e mental. Consiste na aplicação sistemática da música, dirigida por um musicoterapeuta em um contexto terapêutico, para obter mudanças desejadas no comportamento. Estas mudanças possibilitam ao indivíduo que experimenta o processo terapêutico a uma maior compreensão de si mesmo e o mundo em sua volta, alcançando ainda um maior ajustamento à sociedade. Como membro da equipe terapêutica, o musicoterapeuta profissional participa da análise dos problemas do indivíduo e na projeção dos objetivos gerais do tratamento, antes de planejar e executar as atividades musicais específicas. Avaliações periódicas são realizadas para determinar a eficácia dos procedimentos empregados.” (Baranow, 1999, p.72-73).

New Zealand Society for Music Therapy: “A música é uma ferramenta útil e poderosa para o estabelecimento de comunicação com crianças e adultos como apoio ao aprendizado e ao re-aprendizado nas áreas física, social, intelectual e emocional. Incluem-se nessa situação a utilização da música com fins preventivos e para a reabilitação. A música assim utilizada, em diferentes settings com crianças e adultos é considerada musicoterapia.
“Musicoterapia é a utilização planejada da música para apoiar necessidades identificadas em que há disfunções físicas, intelectuais, sociais ou emocionais... A musicoterapia é baseada na humanidade da música, envolvendo o corpo, a mente e o espírito. A musicoterapia é uma ponte para a comunicação.” (Bruscia, 1998, p.281-282)

Odell: “Musicoterapia no campo da saúde mental é a utilização da música para possibilitar meios alternativos de expressão e comunicação em situações em que as palavras não são necessariamente o modo mais eficiente de alcançar objetivos terapêuticos do cliente. A perseguição desses objetivos é trabalhada através de uma relação que se desenvolve entre o cliente e o terapeuta com o fazer musical como o meio primário... Alguns dos objetivos mais freqüentes em musicoterapia são: estimular a motivação; criar um ambiente para a exploração de sentimentos; desenvolver habilidades sociais, a autoconsciência e a consciência do outro; e, estimular o movimento através da improvisação e do fazer musical espontâneo.” (Bruscia, 1998, p.282)

Ruud: “Uma definição de Musicoterapia geralmente parte do ponto em que a mesma consiste numa profissão de tratamento onde o terapeuta usa a música como instrumento ou meio de expressão a fim de iniciar alguma mudança ou processo de crescimento direcionados ao bem-estar social, crescimento ou outros.” (Baranow, 1999, p.7)

Rudenberg: Musicoterapia “é a utilização da música e de atividades com ela correlacionadas sob a supervisão de indivíduos profissionalmente treinados (isto é, musicoterapeutas) para ajudar um cliente ou paciente a alcançar um objetivo terapêutico predeterminado. (Bruscia, 1998, p.284)

Sekeles: Musicoterapia é “a utilização direta do som e da música para: apoiar a observação diagnóstica através de ferramentas específicas; facilitar mudanças significativas no organismo humano e melhorar as condições fisiológicas e psicológicas; desenvolver a expressão musical, que, presumivelmente, é essencial para uma vida saudável.
“Uma profissão que utiliza o potencial terapêutico inerente aos componentes musicais (freqüência, duração, intensidade, timbre) e à música como uma forma artística complexa visando a preservar as capacidades saudáveis do paciente, a promover mudança e desenvolmento benéficos e capacitar a aquisição de uma melhor qualidade de vida”. (Bruscia, 1998, p.284).

Smith: “A Musicoterapia, ciência que utiliza elementos sonoro-rítmicos-musicais no tratamento, reeducação, reabilitação e recuperação de indivíduos portadores das mais diversas patologias ou ainda na área preventiva, procura estabelecer uma relação de equilíbrio entre as três áreas da conduta humana: mente, corpo e mundo externo.” (Baranow, 1999, p.7)

Swedish Association for Music Therapy: Musicoterapia “é a utilização da música em settings terapêuticos e educacionais para oferecer possibilidades de desenvolvimento aos indivíduos com deficências psíquicas, físicas e sociais.” (Bruscia, 1998, p..285)

Uruguayan Association for Music Therapy: Musicoterapia “é uma carreira paramédica de princípios científicos que compreende não somente aspectos terapêuticos mas também profiláticos e diagnósticos. Nesse processo temos o paciente e o musicoterapeuta em uma determinada situação com uma estrutura fixa em que existe uma integração dinâmica por meio de estímulos sonoros. O musicoterapeuta, trabalhando com um grupo, utiliza os estímulos sonoros musicais para estimular os pacientes com problemas físicos, psíquicos ou psicossomáticos e observa as mudanças no que ele faz, fala ou expressa por outros meios. O paciente responde aos estímulos sonoros e reage ao nível do movimento, da comunicação, do comportamento, da emoção e do organismo. O papel do musicoterapeuta é empregar um estímulo sonoro para estimular as respostas em uma dada situação que tende a produzir mudanças no comportamento do paciente que o tornará apto a se integrar em seu próprio ambiente.” (Bruscia, 1998, p.285).

World Federation of Music Therapy: “Musicoterapia é a utilização da música e/ou dos elementos musicais (som, ritmo, melodia e harmonia) pelo musicoterapeuta e pelo cliente ou grupo, em um processo estruturado para facilitar e promover a comunicação, o relacionamento, a aprendizagem, a mobilização, a expressão e a organização (física, emocional, mental, social e cognitiva) para desenvolver potenciais e desenvolver ou recuperar funções do indivíduo de forma que ela possa alcançar melhor integração intra e interpessoal e consequentemente uma melhor qualidade de vida.” (Bruscia, 1998, p.286)

Bibliografia:
BRUSCIA, Kenneth. Definindo Musicoterapia. Enelivros, Rio de Janeiro, 1998.
BARANOW, Ana Lea von. Musicoterapia – uma visão geral. Enelivros, Rio de Janeiro, 1999.

Gisele Célia Furusava, musicoterapeuta, psicoterapeuta corporal neo-reichiana, formanda em análise bioenergética.

Fonte:
Musicoterapia SP: Definições de Musicoterapia

Sua Fonte Natural de Informação
[Imagem: bannerForum.jpg]

Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 2 usuários diz(em) obrigado a admin pelo seu post:
Mediador (13-03-2014), Minerim (13-03-2014)
13-03-2014, 02:46 AM (Resposta editada pela última vez em: 13-03-2014 02:52 AM por admin.)
Resposta: #3
RE: Células tumorais expostas à "5ª Sinfonia", de Beethoven, perderam tamanho ou morreram
Aqui parte do primeiro post, publicado no O Globo:

Células tumorais expostas à 'Quinta Sinfonia', de Beethoven, perderam tamanho ou morreram

Mesmo quem não costuma escutar música clássica já ouviu, numerosas vezes, o primeiro movimento da "Quinta Sinfonia" de Ludwig van Beethoven. O "pam-pam-pam-pam" que abre uma das mais famosas composições da História, descobriu-se agora, seria capaz de matar células tumorais - em testes de laboratório. Uma pesquisa do Programa de Oncobiologia da UFRJ expôs uma cultura de células MCF-7, ligadas ao câncer de mama, à meia hora da obra. Um em cada cinco delas morreu, numa experiência que abre um nova frente contra a doença, por meio de timbres e frequências.

A estratégia, que parece estranha à primeira vista, busca encontrar formas mais eficientes e menos tóxicas de combater o câncer: em vez de radioterapia, um dia seria possível pensar no uso de frequências sonoras. O estudo inovou ao usar a musicoterapia fora do tratamento de distúrbios emocionais.

- Esta terapia costuma ser adotada em doenças ligadas a problemas psicológicos, situações que envolvam um componente emocional. Mostramos que, além disso, a música produz um efeito direto sobre as células do nosso organismo - ressalta Márcia Capella, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, coordenadora do estudo.

Como as MCF-7 duplicam-se a cada 30 horas, Márcia esperou dois dias entre a sessão musical e o teste dos seus efeitos. Neste prazo, 20% da amostragem morreu. Entre as células sobreviventes, muitas perderam tamanho e granulosidade.

O resultado da pesquisa é enigmático até mesmo para Márcia. A composição "Atmosphères", do húngaro György Ligeti, provocou efeitos semelhantes àqueles registrados com Beethoven. Mas a "Sonata para 2 pianos em ré maior", de Wolfgang Amadeus Mozart, uma das mais populares em musicoterapia, não teve efeito.

- Foi estranho, porque esta sonata provoca algo conhecido como o "efeito Mozart", um aumento temporário do raciocínio espaço-temporal - pondera a pesquisadora. - Mas ficamos felizes com o resultado. Acreditávamos que as sinfonias provocariam apenas alterações metabólicas, não a morte de células cancerígenas.

"Atmosphères", diferentemente da "Quinta Sinfonia", é uma composição contemporânea, caracterizada pela ausência de uma linha melódica. Por que, então, duas músicas tão diferentes provocaram o mesmo efeito?
Aliada a uma equipe que inclui um professor da Escola de Música Villa-Lobos, Márcia, agora, procura esta resposta dividindo as músicas em partes. Pode ser que o efeito tenha vindo não do conjunto da obra, mas especificamente de um ritmo, um timbre ou intensidade. Em abril, exposição a samba e funk
Quando conseguir identificar o que matou as células, o passo seguinte será a construção de uma sequência sonora especial para o tratamento de tumores. O caminho até esta melodia passará por outros gêneros musicais. A partir do mês que vem, os pesquisadores testarão o efeito do samba e do funk sobre as células tumorais.

- Ainda não sabemos que música e qual compositor vamos usar. A quantidade de combinações sonoras que podemos estudar é imensa - diz a pesquisadora.

Outra via de pesquisa é investigar se as sinfonias provocaram outro tipo de efeito no organismo. Por enquanto, apenas células renais e tumorais foram expostas à música. Só no segundo grupo foi registrada alguma alteração.

A pesquisa também possibilitou uma conclusão alheia às culturas de células. Como ficou provado que o efeito das músicas extrapola o componente emocional, é possível que haja uma diferença entre ouví-la com som ambiente ou fone de ouvido.

- Os resultados parciais sugerem que, com o fone de ouvido, estamos nos beneficiando dos efeitos emocionais e desprezando as consequências diretas, como estas observadas com o experimento - revela Márcia.

Fonte:
http://oglobo.globo.com/ciencia/celulas-...am-2804700

Sua Fonte Natural de Informação
[Imagem: bannerForum.jpg]

Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 1 usuário disse obrigado a admin pelo seu post:
Mediador (13-03-2014)
13-03-2014, 02:48 AM (Resposta editada pela última vez em: 13-03-2014 02:50 AM por admin.)
Resposta: #4
RE: Células tumorais expostas à "5ª Sinfonia", de Beethoven, perderam tamanho ou morreram
Direct effects of music in non-auditory cells in culture

The biological effects of electromagnetic waves are widely studied, especially due to their harmful effects, such as radiation-induced cancer and to their application in diagnosis and therapy. However, the biological effects of sound, another physical agent to which we are frequently exposed have been considerably disregarded by the scientific community. Although a number of studies suggest that emotions evoked by music may be useful in medical care, alleviating stress and nociception in patients undergoing surgical procedures as well as in cancer and burned patients, little is known about the mechanisms by which these effects occur. It is generally accepted that the mechanosensory hair cells in the ear transduce the sound-induced mechanical vibrations into neural impulses, which are interpreted by the brain and evoke the emotional effects. In the last decade; however, several studies suggest that the response to music is even more complex. Moreover, recent evidence comes out that cell types other than auditory hair cells could response to audible sound. However, what is actually sensed by the hair cells, and possible by other cells in our organism, are physical differences in fluid pressure induced by the sound waves. Therefore, there is no reasonable impediment for any cell type of our body to respond to a pure sound or to music. Hence, the aim of the present study was to evaluate the response of a human breast cancer cell line, MCF7, to music. The results' obtained suggest that music can alter cellular morpho-functional parameters, such as cell size and granularity in cultured cells. Moreover, our results suggest for the 1 st time that music can directly interfere with hormone binding to their targets, suggesting that music or audible sounds could modulate physiological and pathophysiological processes.

Para o artigo completo, em inglês:
http://www.noiseandhealth.org/article.as...st=Lestard

Sua Fonte Natural de Informação
[Imagem: bannerForum.jpg]

Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 1 usuário disse obrigado a admin pelo seu post:
Mediador (13-03-2014)
Óleo de Copaíba é na Tudo Saudável
13-03-2014, 12:20 PM
Resposta: #5
RE: Células tumorais expostas à "5ª Sinfonia", de Beethoven, perderam tamanh...
Não será necessário tecer grandes comentários à matéria em questão uma vez que me parece estar tudo dito. Contudo, acrescentaria alguma coisa que julgo no meu entender ser de um domínio menos técnico.

A divisão celular, em particular os processos mitóticos, obedecem a uma velocidade de replicação modelada por um padrão vobracional pré-definido. A alteração deste padrão induz alterações na replicação da cadeia de ADN, podendo induzir erros que se transformarão mais tarde ou mais cedo, em genes defeituosos, quiçá até em oncogenes. Estes erros, são na verdade residuais uma vez que o próprio processos de replicação celular tem os seus mecanismos de regulação e correcção. Por este motivo, a alteração celular em termos de oncogénese ser mais rara do que todos nós possamos pensar.

No entanto, com o avançar da era tecnológica e toda a parafernália de aparelhos que emitem radiação electromagnética, processos que aceleram o crecimento de produtos alimentares, sejam eles de origem vegatal o animal, e a interacçãop do corpo humano com um ritmo social altamente stressante e acelerado, podem e quase de certeza, tem efeitos no processo natural da divisão celular.

A harmonia inicial da divisão celular é afectada directamente por estes factores exógenos, traduzindo-se numa alteração do padrão vibracional na fase mitótica. Ora, isso leva a uma desregulamentação e ou a um consequente aumento de erros de transcrição do genoma que, efectivamente se irão trsaduzir em anomalias celulares, como é o caso do surgimento de processos neoplásicos a nível celular e do tecido endotelial. É natural que se ingerirmos regularmente carne de frango ou vegetais, que sofreram durante o seu processo de crescimento, uma aceleração promovida quer por adição hormonal, quer por actuação de substancias que induzem a divisão celular, ete processo poderá ser assimilado pelos padrões celulares das nossas células. Assim sendo, elas mesmo ficarão sujeitas a uma aceleração na divisão celular que provávelmente se poderá traduzir no surgimento dum processo de desregulação celular que irá culminar no surgimento de um cancro. Cancro não é nem mais nem menos do que divisão celular fora de controlo.

O que tem a ver a musica com tudo isto? Simples. Toda a musica, desde que obedeça a um padrão regular tendo em conta a escala normal de notas musicais ordenadas, se torna num processo organizacional em termos harmónicos e vibracionais, que pode fazer regredir uma alteração dos padrões desregulados nas células do nosso corpo em termos de replicação celular desorganizada. A musica é som e som é vibração. Se a vibração não se afastar dos parametros naturais aos quais estamos sujeitos (dentro da normalidade), pode reorganizar a replicação celular, levando a correcções da harmonia e equilibrios na divisão celular, que foram alterados pelos tais fenómenos exógenos anti-naturais que falei anteriormente. Isto é o poder da musica, isto é o poder da harmonia, isto é o poder do equilibrio, que nos penetra até ao mais infimo átomo do nosso corpo.

“Seja como for, a grandiosa revolução humana de uma única pessoa irá um dia impulsionar a mudança total do destino de um país e, além disso, será capaz de transformar o destino de toda a humanidade.”
Encontrar todas as respostas deste usuário
Adiciona agradecimento Citar esta mensagem em uma resposta
[-] O(s) seguinte(s) 2 usuários diz(em) obrigado a ruicoelho pelo seu post:
admin (08-05-2014), Iron (01-09-2014)
Responder 


Tópicos Similares
Tópico: Autor Respostas Visualizações: Última Resposta
  5 Alimentos que Destroem as Células Cancerosas e Suprimem Tumores admin 0 5,129 14-07-2016 05:53 PM
Última Resposta: admin
  [Estudo] Óleo de Prímula Diminui Células Cancerígenas admin 0 1,117 21-03-2016 04:42 PM
Última Resposta: admin
  Vitamina D tem o Poder de Matar as Células de Câncer, Garante Médico admin 0 1,418 10-03-2016 06:09 AM
Última Resposta: admin
  A banana madura combate as células cancerígenas Mediador 2 5,274 30-11-2015 10:00 AM
Última Resposta: wendsonsilva
  [Estudo] Agrião e Brócolis Eliminam as Células-Tronco do Câncer admin 0 1,788 09-10-2015 04:29 PM
Última Resposta: admin

Ir ao Fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes
Tópicos relacionados...

Entre em Contato | Fórum Notícias Naturais | Voltar ao Topo | Voltar ao Conteúdo | Modo Leve (Arquivo) | Feeds RSS | Site Notícias Naturais | Loja Tudo Saudável
Publicidade:
Loja Tudo Saudável


Recomende o Fórum


Dossiê Vacina HPV
Registro de Efeitos Adversos das Vacinas Site Notícias Naturais

Pesquisar

(Pesquisa Avançada)

Olá, Visitante
Olá Visitante!
Para participar do fórum, é necessário se Registrar.



  

Senha
  





Usuários Online
Existem no momento 39 usuários online.
» 1 Membros | 38 Visitantes

Estatísticas do Fórum
» Membros: 16,332
» Último Membro: form0crate
» Tópicos do Fórum: 2,964
» Respostas do Fórum: 16,465

Estatísticas Completas

Tópicos Recentes
Os 21 Benefícios da Cebola Para Saúde
Última Resposta Por: LauraCorreia
16-10-2017 01:46 PM
» Respostas: 1
» Visualizações: 319
Chá de cebola: Propriedades e como fazer esta infusão
Última Resposta Por: Bruna T
14-10-2017 10:44 AM
» Respostas: 0
» Visualizações: 292
Ajuda Financeira - Motivo Doença
Última Resposta Por: Supermoderador
13-10-2017 08:47 AM
» Respostas: 51
» Visualizações: 3294
Acupuntura funciona mesmo ?
Última Resposta Por: lopesmivi
13-10-2017 08:44 AM
» Respostas: 4
» Visualizações: 2786
Ter filhos, ou nao?
Última Resposta Por: Pâmela
11-10-2017 04:46 PM
» Respostas: 84
» Visualizações: 26994
Benefícios da farinha de maracujá
Última Resposta Por: LauraCorreia
10-10-2017 08:36 AM
» Respostas: 1
» Visualizações: 439
Palestras completas raríssimas - Dr. Lair Ribeiro (mais de 50 dvds)
Última Resposta Por: Bruna T
10-10-2017 02:08 AM
» Respostas: 50
» Visualizações: 121029
Pão de queijo light
Última Resposta Por: Memoria
06-10-2017 05:50 PM
» Respostas: 4
» Visualizações: 343
Risco de Autismo é 420% Maior em Crianças Vacinadas versus Crianças Não Vacinadas
Última Resposta Por: Jahaisa
24-09-2017 11:04 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 251
Substâncias Presentes na Canela Afetam as Células do Câncer de Mama
Última Resposta Por: Jahaisa
24-09-2017 10:54 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 168
[Estudo] Dietas com Baixo Teor de Gordura Saturada Demonstraram ser Mortais
Última Resposta Por: Jahaisa
24-09-2017 10:44 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 119
Produtos de Limpeza Domésticos Podem Causar Maior Risco de Doença Pulmonar
Última Resposta Por: Jahaisa
24-09-2017 10:37 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 76
Antidepressivos Estão Matando as Pessoas: Risco de Morte Precoce Aumentou 33%
Última Resposta Por: Jahaisa
24-09-2017 09:44 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 118
Cientista da EPA Adverte que o Glifosato Elimina os Minerais dos Alimentos
Última Resposta Por: Jahaisa
23-09-2017 07:44 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 140
‘Medicamentos que Curam não são Rentáveis e, Portanto, não são Desenvolvidos’
Última Resposta Por: Jahaisa
23-09-2017 07:33 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 67
Alimente seu Pet com uma Colher de Sopa de Óleo de Coco Orgânico
Última Resposta Por: Jahaisa
23-09-2017 07:26 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 50
Maca Peruana: Possui Compostos Anticâncer, Aumenta a Libido e Combate a Depressão
Última Resposta Por: Jahaisa
23-09-2017 07:19 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 76
[Estudo] Pressão Arterial Pode ser Reduzida em Apenas um Mês com Magnésio
Última Resposta Por: pequeno gafanhoto
23-09-2017 09:48 AM
» Respostas: 1
» Visualizações: 141
Como Escolher Frutas, Legumes e Verduras
Última Resposta Por: Ferramentas
22-09-2017 06:06 PM
» Respostas: 1
» Visualizações: 616
Por que a Indústria do Câncer NÃO Quer que Você Conheça os Alimentos Anticancerígenos
Última Resposta Por: Jahaisa
22-09-2017 12:46 AM
» Respostas: 0
» Visualizações: 111
Escândalo Médico: Quimioterapia Demonstra Espalhar o Câncer em Novo Estudo
Última Resposta Por: Jahaisa
19-09-2017 09:30 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 214
Cardiologista Responde ao Ataque Ignorante ao Óleo de Coco
Última Resposta Por: Jahaisa
19-09-2017 08:30 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 137
Saúde da mulher - Os cuidados para cada fase da vida
Última Resposta Por: Bruna T
09-09-2017 06:30 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 211
30 dicas de saúde para mulheres
Última Resposta Por: Bruna T
09-09-2017 06:18 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 105
Tecnologia a serviço da alimentação saudável
Última Resposta Por: Bruna T
09-09-2017 06:09 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 74
Salsinha: Erva Poderosa para Desintoxicação dos Rins
Última Resposta Por: Bruna T
03-09-2017 12:07 PM
» Respostas: 0
» Visualizações: 523
Salsinha e cebolinha: a dupla de temperos ideal para sua saúde
Última Resposta Por: Bruna T
03-09-2017 11:58 AM
» Respostas: 0
» Visualizações: 138
Conheça as 7 “Sementes Mágicas” para sua Saúde
Última Resposta Por: Bruna T
03-09-2017 02:42 AM
» Respostas: 0
» Visualizações: 165
Grãos e sementes: Aliados da alimentação saudável
Última Resposta Por: Bruna T
03-09-2017 02:29 AM
» Respostas: 0
» Visualizações: 100
Iogurte recheado com compota de cereja e granola crocante
Última Resposta Por: Inglês Aprender
24-08-2017 07:10 PM
» Respostas: 1
» Visualizações: 9482

Lista completa de tópicos

Divulgue o fórum em seu site!